Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Dízimo

Gostaria de convidar todos os paroquianos a viver a experiência da espiritualidade de ser dizimista.

Confesso que quando fui convidado pelo Pe. Valeriano a participar da Pastoral do Dízimo tive um sentimento de preconceito sobre o Dízimo, porém, meditando e vivenciando, meu coração foi se abrindo para a beleza da espiritualidade de ser dizimista.

Ao meditar a sagrada escritura, cremos que temos um Pai tão bondoso que envia seu próprio Filho para nos salvar e que, através de seu Preciosíssimo Sangue derramado na Santa Cruz nos deu a verdadeira esperança: a vida eterna a imortalidade. E nos deu também a Santa Mãe de Deus como nossa mãe! Quem como Deus? Quem como Maria?

Tudo nos foi dado!

Brota no nosso coração um sentimento de gratidão e alegria, nasce uma decisão por amor a Deus em pertencer a Igreja, corpo místico de Cristo, e se torna corresponsável pela Igreja, na manutenção da paróquia, na missão evangelizadora, nos tornando missionário.

Surge em nós o desejo com a comunidade paroquial de participar nas atividades como membro de Cristo, e o compromisso de contribuir permanentemente com a paróquia conforme a disponibilidade de cada um “Deus ama quem dá com alegria.” (2 Cor 9,7). Pelo dom da gratuidade tudo pertence a Deus. Temos que permanecer firmes em Cristo na contribuição do Dízimo principalmente nos momentos de tribulação, afinal Deus espera nesses momentos como resposta o nosso sim em confiar na Providência Divina como uma forma de corresponder nosso amor por Ele, e sentir-se amado por Ele. O que temer se estamos aderindo ao projeto de Deus? Ele está no comando.

É o desejo da Paróquia, e não tenho dúvida, é o desejo de Nossa Senhora, que todos os paroquianos se tornem dizimistas!

Gratidão e Confiança na Providencia Divina pelas mãos de Nossa Mãe.

Que o Imaculado Coração de Maria nos ajude a viver plenamente a espiritualidade do Dízimo!

 

08/01/2018

Alessandro Bertoni – Coordenador da Pastoral do Dízimo

 

ORAÇÃO DO DIZIMISTA CRISTÃO

Ó Deus, / quando Israel tomou posse da Terra, / a tribo de Levi não recebeu sua parte, / pois sua herança era cuidar do culto. / Para isso as outras tribos contribuíam com o DÍZIMO de tudo o que produziam.

Hoje somos o povo da Aliança no Sangue de Cristo. / Por isso também entregamos o DÍZIMO do nosso trabalho, / a fim de  promover a vida sacramental e pastoral / e dinamizar a missão da Igreja.

Deposito minha confiança na Providência Divina, / e reafirmo a certeza de Jacó, / de que me proteges na partida e na chegada / e não deixas nada faltar ao longo do caminho. / Assim te louvo com os levitas: / “O senhor é minha herança”, / e canto com Maria: / “O Senhor fez em mim maravilhas”.

Ajuda-me, pois, a crer no amor do Pai, / na graça de Cristo / e na comunhão do Espírito Santo. / E acolhe o Dízimo que te entrego de todo coração.

Amém.

img008

O Dízimo como ato de fé

De todas as formas de contribuição para com a evangelização, o Dízimo é a mais bíblica, e pode  ser comparado com um copo de água que sacia um sedento:

E se alguém der mesmo que seja apenas um copo de água fria a um destes pequeninos, porque ele é meu discípulo, eu lhes asseguro que não perderá a sua recompensa (Mateus 10:42).

A finalidade do dízimo é dar suporte à obra de evangelização que a Igreja tem como atividade central, constituída pelas pastorais. Implica também a manutenção do culto e dos ministros sagrados que não devem imiscuir-se em negócios para buscar sobrevivência.  A teologia do dízimo tem base consistente na Sagrada Escritura. Desde o Antigo Testamento o dízimo é um ato de fé comunitário e um ato de fé individual.

Comunitário porque a décima parte do fruto do trabalho de onze tribos de Israel devia ser doada a Deus, com a finalidade de manter a Tribo de Levi, que trabalhava exclusivamente a serviço do culto (cf. Lv 27,30).

Individual porque representava a bênção de Deus nas empreitadas da vida. Jacó, que tinha uma grande empreitada a realizar, rezou assim: “Se Deus estiver comigo e me guardar no caminho por onde eu for, se me der pão para comer e roupas para vestir, e se eu voltar são e salvo para casa, de tudo o que Ele me der, eu pagarei fielmente o dízimo” (Gn 28, 20-22).

Seja um fiel Dizimista.

Pe. Valeriano dos Santos Costa.

                                   DÍZIMO

O   que   nos   leva   a   tomar    essa   iniciativa

é   a   certeza   de   que   o  Dízimo  é  um sinal

visível  da  participação  e  corresponsabilidade

dos  fiéis  na   comunidade   eclesial;   ajuda  os

católicos    a    desenvolver    sua   consciência

de  pertença à Igreja; é uma expressão viva da

fé   e  da  gratidão   a   Deus  e dá   condições  à

Igreja  de  cumprir  sua missão evangelizadora.