Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Notícias › 14/09/2016

“Matar em nome de Deus é satânico!”, afirmou o Papa

Na manhã desta quarta-feira, foi celebrada uma Missa pelo Pe. Jacques Hamel, sacerdote francês assassinado no último dia 26 de julho por dois jovens jihadistas enquanto celebrava a eucaristia. Durante a homilia, o Papa Francisco afirmou que o presbítero é um santo porque morreu mártir, e expressou firmemente que “matar em nome de Deus é satânico! ”.

O sacerdote “faz parte desta corrente de mártires”. “Hoje há cristãos perseguidos por que não renegam a Cristo e a crueldade desta perseguição é satânica”.

“Que bom seria que todas as confissões religiosas dissessem: ‘Matar em nome de Deus é satânico’! ”, acrescentou.

Estiveram presentes durante a Missa a irmã do sacerdote, assim como um grupo de 80 fiéis da diocese de Rouen – onde o sacerdote servia – junto com o seu bispo, Dom Dominique Lebrun. Foi uma celebração emotiva, na qual o Papa pediu para colocar uma fotografia do sacerdote assassinado no altar.

“Na cruz de Jesus Cristo –hoje a Igreja celebra a festa da Cruz– compreendemos plenamente o mistério de Cristo, este mistério de aniquilação, de proximidade a nós”, disse Francisco na homilia.

O Pontífice explicou: “Este é o mistério de Cristo. Jesus Cristo é o primeiro mártir, o primeiro que dá a vida por nós, e deste mistério de Cristo começa toda a história do martírio cristão, desde os primeiros séculos até hoje. Os primeiros cristãos recebiam a proposta da apostasia, isto é: “Digam que o nosso deus é o verdadeiro. Façam um sacrifício ao nosso deus ou aos nossos deuses”, e se rejeitavam a apostasia, eram assassinados”.

“Esta história se repete até hoje na Igreja e hoje na Igreja há mais mártires cristãos do que nos primeiros tempos. Hoje há cristãos assassinados, torturados, encarcerados, degolados porque não renegam Jesus Cristo”.

O Pe. Jacques Hamel “foi degolado na Cruz, justamente enquanto celebrava o sacrifício da Cruz de Cristo. “Homem bom, manso, de fraternidade, que sempre buscava fazer a paz, foi assassinado como se fosse um criminoso. Mas há algo, neste homem, que aceitou o seu martírio no altar, algo que me faz pensar muito: em meio ao momento difícil que vivia, em meio a esta tragédia que ele via se aproximar, um homem manso, um homem bom, um homem que fazia fraternidade, não perdeu a lucidez de acusar e dizer claramente o nome do assassino. E disse claramente: ‘Vai embora, Satanás! ’. Deu a vida por nós, deu a vida para não renegar Jesus. Deu a vida no mesmo sacrifício de Jesus no altar e dali acusou o autor da perseguição: ‘Vai embora, Satanás! ’”.

“Que esse exemplo de coragem, mas também de martírio da própria vida, de esvaziar a si mesmo para ajudar os outros, de fazer fraternidade entre os homens, ajude todos nós a ir avante sem medo. Ele do Céu, porque devemos rezar para ele? É um mártir! E os mártires são beatos – devemos rezar para ele, que nos dê a mansidão, a fraternidade, a paz e também a coragem de dizer a verdade: matar em nome de Deus é satânico”.

Por ACI

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.