Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

NOTÍCIAS DA IGREJA : Segundo semestre 2018

Em São Paulo:

Locais para celebração do matrimônio: Diretriz da Província Eclesiástica de São Paulo proíbe a celebração de casamentos em restaurantes e buffets, permitindo que seja realizada, além de capelas nas paróquias, em capelas de hospitais, escolas e casas religiosas.  

 

PUC: Proposta de revisão de seus Estatutos: Apresentada pela mantenedora (Conselho Superior da Fundação São Paulo – FUNDASP) à comunidade universitária (professores, estudantes, funcionários) que deve se manifestar sobre o documento de trabalho apresentado, lembrando que a PUC é uma instituição privada e comunitária, de caráter confessional católico e pontifício, cujos atos devem ser aprovados pela Santa Sé.

 

Na Paróquia: Realizadas em 16.10, 31.10 e 14.11 as sessões da Assembléia Paroquial Sinodal, quando foram apresentados e discutidos os resultados dos levantamentos de campo feitos pelos pesquisadores voluntários.

 

Na Arquidiocese: Realizada em 10.11 a Assembléia Arquidiocesana de Pastoral, na qual se refletiu sobre os resultados das pesquisas feitas em todas as paróquias da Arquidiocese, atualmente em fase de análise antes de sua publicação oficial.

 

Ordenações: Foram ordenados em 8 de dezembro por D. Odilo Scherer 6 sacerdotes para a Arquidiocese de São Paulo.

 

No Brasil:

3º. Congresso Internacional de Doutrina Social da Igreja. Realizado em São Paulo de 19 a 21 de setembro, com a participação dos Cardeais Maradiaga, Arcebispo de Tegucigalpa (Honduras), e Scherer, Arcebispo de São Paulo.  Foi aprofundado o tema dos Direitos Humanos à luz da Doutrina Social da Igreja.

 

Em Roma:

“Irmã Água”: Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. Celebrado em conjunto pelas Igrejas Católica e Ortodoxa e várias outras, em 1° de setembro. O Papa concentrou sua mensagem na água, a que 600 milhões de pessoas mal têm acesso, e pede que, além de se cuidar das nascentes e reservatórios hídricos para que não sejam somente utilizados para benefício individual, não se polua os mares com plásticos e outros lixos; que “as águas não sejam um sinal de separação entre os povos, mas de encontro para a comuidade humana”.

 

“Quem é o Bispo?”, perguntou o Papa em 8 de setembro, aos bispos reunidos pela Congregação para a Evangelização dos Povos: “O ministério dos bispos causa arrepios, por ser tão grande o mistério que traz em si”.“O bispo não vive para si, mas é      propenso a doar a vida às ovelhas, em particular às mais débeis e em perigo.” Sublinhou “Três aspectos essenciais: é homem de oração – para ele a oração não é devoção, mas necessidade – homem do anúncio – não se anuncia o Evangelho sentado no escritório, como um administrador de empresa, mas a caminho no meio do povo, pelas veredas do mundo, como Jesus – e homem da comunhão” – bispo para os seus fiéis, cristão com os seus fiéis, não procura a aprovação do mundo, não cede à tentação de afastar-se com frequência da sua Diocese, como os ‘bispos de aeroporto’, não se cansa de ouvir, evita o clericalismo, e se preocupa, em especial, com algumas realidades: a família, os seminários, os jóvens e os pobres”.   

 

Novo dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, substituindo os organismos existentes. Para compô-lo, o Papa nomeou sete cardeais e bispos e, pela primeira vez no Vaticano em grande maioria, numerosos leigos, inclusive alguns casais.

 

Reunião Internacional dos Presidentes das Conferências Episcopais do mundo inteiro foi convocada pelo Papa Francisco para fevereiro de 2019 para discutir e esclarecer as acusações de conduta sexual inadequada de alguns bispos e sacerdotes em diversos países e a proteção de crianças afetadas nesses casos. 

 

Canonizados, em 14 de outubro, além do papa Paulo VI:  D. Oscar Romero, ex-arcebispo de San Salvador assassinado durante a missa em sua catedral; Nunzio Sulpicio, jovem operário italiano morto em 1836 aos 19 anos, após anos de trabalho infantil pesado que provocaram a amputação de uma perna sem impedi-lo de dar aos jóvens, além da aceitação alegre dos seus sofrimentos, o exemplo de uma profunda fé, e mais dois sacerdotes e duas religiosas.

Em 8 de dezembro, foram beatificados em Oran (Argélia), D. Pierre Claverie, que foi seu bispo, e mais 18 religiosos, entre os quais os sete monges de Tibhirine decapitados em 1996.

 

Sínodos: 2018: Jóvens : Aberto pelo papa Francisco em 3 de outubro em Roma, com a presença de 267 padres sinodais (bispos de inúmeros países, inclusive pela primeira vez, dois bispos da China continental), de alguns presbíteros especialmente convidados, e de 34 jóvens de diversos países.  O relator foi o Arcebispo de Brasília, Cardeal D. Sérgio da Rocha. Na missa inaugural, o Papa disse que devemos “ungir os jóvens com os dons da profecia e da visão”.  Agradeceu os jóvens por “acreditar que vale a pena sentir-se membro da Igreja e dialogar com ela, agarrando-se na barca da Igreja, que mesmo atravessando impiedosas tempestades, continua a oferecer a todos refúgio e hospitalidade. Vale também a pena nadar a contracorrente, adotando valores superiores : a família, a fidelidade, o amor, a fé, o sacrifício, o serviço, a vida eterna”.

Após a abertura, o Papa pronunciou solene discurso definindo a atitude que devem ter os participantes durante o Sínodo: coragem, franqueza, escuta humilde, diálogo, silêncio. “Precisamos, disse, demonstrar a esses jóvens que eles fizeram bem em acreditar, que realmente valeu a pena, que não foi tempo perdido.»  É preciso também, acrescentou, abandonar preconceitos e estereórotipos, a começar pela idéia dos jóvens que os adultos estão ultrapassados, ou dos adultos que os jóvens são inexperientes. É preciso “desenvolver uma aliança entre as gerações”. 

O Sínodo foi encerrado pelo Papa em 28 de outubro, após aprovação de um documento conclusivo.  Inspirado na narrativa dos peregrinos de Emaús, o documento lembra que o primeiro a acompanhar os jóvens é o proprio Cristo, que anda com eles, abre a sua inteligência para as Escrituras, torna-os discípulos e os envia em missão. O documento, ao terminar, indica um caminho para a santidade, para a qual chama todos os jóvens, arrastando com eles toda a Igreja,

 

2019 – Amazônia: sobre o tema “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral”, com bispos e autóctones da região. Publicado o documento preparatório (Lineamenta) que inclui um Preâmbulo e 3 partes: Identidade e aspirações da Panamazônia, Rumo a uma conversão pastoral e ecológica, e Novos Caminhos para uma Igreja de rosto amazônico, além de um Questionário.

 

2020 – Mulheres na Igreja: tema proposto pelo episcopado latino-americano

 

Comunhão conjunta de Cônjuges quando um é Católico e o outro Protestante: proposta, por maioria de três quartos, pelo episcopado alemão, diante do número cada vez maior de matrimônios mistos. Uma delegação episcopal alemã, chefiada pelo Cardeal Marx, Arcebispo de Munique e presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha, reuniu-se, a pedido do Papa, com membros da Cúria.  O Papa não quis resolver e pediu à conferência episcopal alemã que “voltasse a discutir o assunto e tentasse chegar a uma decisão, se possível unânime”.

 

Rede Mundial de Oração do Papa: Obra pontifícia com sede no Vaticano, foi confiada à Sociedade de Jesus: deve difundir cada mês a intenção de oração do Papa relativa aos desafios atuais da humanidade, assim como um vídeo mensal com a mensagem do Papa.

 

Consultoras da Congregação da Doutrina da Fé (ex Santo Ofício): pela primeira vez foram nomeadas três mulheres para essa congregação onde até agora só havia homens.

 

Acordo Provisório entre o Vaticano e a China; acordo pastoral e não político, assinado em 22 de setembro, reconhece que cabe somente ao Papa a nomeação de bispos na China, valida a nomeação de 8 bispos feita à revelia do Vaticano e deixa entrever uma visita do Papa à China. A seguir, o Papa enviou importante mensagem aos católicos da China, e dois bispos chineses puderam participar pela primeira vez de um Sínodo, ao final do qual convidaram o Papa a ir à China – dois dias depois de ele ter sido convidado pelo presidente, católico, de Taiwan a visitar esse país rejeitado pela China.

 

Documentos do Magistério:

“Veritatis Gaudium”: Constituição Apóstólica do papa Francisco sobre as universidades e faculdades eclesiásticas. Melhora e substitui a Constituição Apostólica “Sapientia Christiana” de São João-Paulo II ( abril 1979).

 

“Gaudete et Exultate”:  Importante Exortação Apostólica sobre a santidade.

 

“Cor Orans”: Instrução sobre a aplicação na vida contemplativa feminina da constituição “Vultum Dei Quaerere”, com quatro capítulos : O mosteiro autônomo, a federação dos mosteiros, a separação do mundo (inclusive meios de comunicação e formação), a clausura. Essas religiosas têm um lugar eminente na Igreja, não podendo ser chamadas a exercer uma atividade de colaboração nos diversos ministérios pastorais (can. 674).   

« Ecclesiae Sponsae Imago ». Pela primeira vez uma Instrução sobre as virgens consagradas, que não são nem religiosas nem leigas. 

« Œconomicae et Pecuniariae Quaestiones» : Documento da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a economia mundial, analisa os aspectos éticos das atividades financeiras e econômicas e propõe medidas para que a economia mundial volte aos trilhos da ética. 

 “Carta ao Povo de Deus”:  Após a Carta aos Católicos do Chile enviada em maio, foi

publicado em 20 de agosto importante documento do Papa, dirigido a todos os cristãos, a propósito da revelação de inúmeros atos de pedofilia cometidos nos últimos dois séculos por sacerdotes em muitos países, especialmente, nos Estados Unidos, na Irlanda e no Chile, e que não haviam sido denunciados por seus superiores hierárquicos. A Carta começa dizendo: “Se um membro sofre, todos sofrem com ele.” O Papa condenou com força o que tachou de “atrocidades” e reafirmou uma política de “tolerância zero” para com elas. Convidou ainda toda a Igreja a unir-se em oração e penitência, e, dirigindo-se às vítimas, disse que nada é capaz de anular a sua dor e que o Papa está ao seu lado.

 

“Episcopalis Communio”: Nova Constituição Apostólica, assinada em setembro, às vésperas do Sínodo dos Jóvens, reforçando o papel do Sínodo dos Bispos, criado por Paulo VI em 1965. Indica que o Povo de Deus deve encontrar a sua plena expressão numa Igreja sinodal, permitindo que o exercício do ministério papal tenha mais luz.  O Sínodo dos Bispos é assim cada vez mais o canal adequado para a evangelização do mundo atual, e instrumento privilegiado para a escuta do Povo de Deus. O Papa espera, pois, que a atividade do Sínodo “contribua a restabelecer a unidade entre todos os cristãos, segundo a vontade do Senhor”.

 

Viagens do Papa:

Na Sicília: Em 15 de setembro, nas dioceses de Piazza Armerina e Palermo, para o 25° aniversário do assassinato do Bv. Giuseppe (Pino) Puglisi, vítima dos mafiosos. “Não se pode crer em Deus e ser mafioso”, “precisamos hoje de homens e mulheres de amor e não de ‘homens e mulheres de honra, de serviço’, de dominação; precisamos caminhar juntos e não procurar o poder”, disse-lhes o papa Francisco.

 

            Aos Países Bálticos: De 22 a 25 de setembro, à Lituânia, Letônia e Estônia, no centenário

de sua independência após o fim da primeira guerra mundial.  Na Lituânia, o Papa sublinhou a

importância do diálogo e do respeito.  Em Kaunas, recordou a destruição do gueto local e pediu

que nunca mais se repetisse semelhante horror. Na Letônia: Na catedral luterana de Riga, diante

do maior órgão do mundo ao ser construído no século XIX, o Papa pronunciou uma palestra.

             Na Estônia, dirigiu-se às religiosas.

 

 

            Próximas Viagens:

            Ao Panamá. Em janeiro, para as JMJ (Jornadas mundiais da Juventude).

 

Aos Emirados Arabes Unidos, pela 1ª vez, de 3 a 5 de fevereiro, com visita a Abu Dhabi e

participação no Encontro Interreligioso Internacional sobre a “Fraternidade Humana”. O tema da

viagem é o da oração pela paz de S. Francisco de Assis « Faça de mim um instrumento de tua   

            paz”.

 

 

.No mundo:

Igreja Ortodoxa Ucraniana Autóctone, separada da Igreja Ortodoxa Russa, foi reconhecida em 1° de outubro pelo Patriarca Ecumênico Bartholomeu 1°de Istambul, sendo reintegrado o Philarete Denisenko, Patriarca não-canônico de Kiev, excomungado pela Igreja Ortodoxa Russa há onze anos. Em consequência, o Patriarcado Ortodoxo de Moscou rompeu em 15 de outubro todos os liames com o Patriarcado Ortodoxo de Constantinopla.

 

Demissão do Cardeal Wuerl, Arcebispo de Washington, aceita pelo Papa em carta em que lhe pede que permaneça administrando a arquidiocese até a nomeação de seu sucessor e reconhece a sua coragem em pedir o seu afastamento diante de críticas, mas não de acusações, por ocasião de sua atuação anterior como arcebispo de Pittsburgh, na Pennsilvânia, quando numerosos padres foram acusados de atos pedofílicos.  O Cardeal Wuerl, de 77 anos, em 2015 já tinha pedido demissão por idade, não aceita na época, O Papa também reduziu ao estado laico os bispos eméritos de La Serena e Iquique, no Chile.

 

1000 judeus negros etíopes,  os “falashas”, autorizados a emigrar para Israël e obter a cidadania israelense como descendentes de antigos judeus há muitos séculos estabelecidos na Etiópia. 140 000 deles já vivem em Israël.

                                                                                                                                        

                                                                                                                                         Gerard Duchêne

 

 

 

 

                                                                                                                     

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.