Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Notícias › 17/04/2017

Os 90 anos de Bento XVI segundo o Arcebispo George Gänswein

Neste 16 de abril, Domingo de Páscoa, Joseph Ratzinger completa 90 anos. Os festejos foram transferidos para a Segunda-feira do Anjo (feriado no Vaticano e na Itália) e serão reservados e simples. No Mosteiro Mater Ecclesiae, nos Jardins Vaticanos, estará presente uma pequena delegação da Baviera. Na tarde da última quarta-feira, o Papa Francisco felicitou pessoalmente o Papa emérito.

Para a ocasião, a Rádio alemã Horeb entrevistou o Prefeito da Casa Pontifícia, o Arcebispo George Gänswein, que acompanha muito de perto Bento XVI:

“A vida no Mosteiro é muito organizada. Não é um mistério para ninguém que o Papa Bento ame a ordem. O desenvolvimento de seu dia é muito estruturado, muito claro e isto ajuda também que seja bem vivido. Uma das afirmações do Papa Bento, ao final de seu Pontificado, foi de que não se retiraria “à vida privada”, portanto, para fazer aquilo que lhe agradaria fazer, mas que “subiria ao monte” – uma imagem que evoca Moisés, que se retirou para rezar – segundo as suas forças e as suas convicções e as suas capacidades – pelo sucessor, pela Igreja e pelo mundo. E justamente isto é o que faz. Em sua vida tem oração, estudo, visitas, ouve música, a Missa, passeios, meditações, repouso e a preparação também para o encontro com o Senhor. Vejo que Bento vive muito serenamente esta sua decisão”.

RH: Ele se desloca com facilidade?

“Este é o lado mais frágil de seu corpo. Na realidade, tem dificuldade de caminhar e por isto há algum tempo serve-se de um andador. Assim, encontra maior estabilidade, maior segurança e se locomove melhor”.

RH: Que ensinamentos o senhor tira da convivência com Bento XVI?

“Aprendi, sobretudo, que a fé é um dom, que é um dom que dá alegria; que a fé é uma ajuda para carregar melhor o peso que devo carregar, e que não devo senti-la como o peso que carrego nas costas…”

RH: Uma pergunta recorrente: o Papa Francisco continua a aconselhar-se com o Papa Bento?

“Não é um segredo para ninguém que os dois têm uma boa relação e que o Papa Francisco vai regularmente encontrar Bento; os dois se retiram e conversam. As visitas não têm uma cadência fixa. Normalmente acontecem por ocasião de alguma recorrência pessoal ou antes e depois de uma viagem. (…) Ou se falam ao telefone, ou envia uma carta… não existe, portanto, uma estrutura pré-estabelecida. É mais, digamos, um evento ‘carismático’”.

Por Rádio Vaticano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.