Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Notícias › 01/12/2016

Papa assina prefácio de livro sobre relação de detentos com a fé

“Alô, sou Francisco. Pensei que poderíamos fazer mais rápido se eu lesse o meu prefácio no telefone. Tens papel e caneta para escrever?”.

O Papa Francisco assina o prefácio da obra “Cristo dentro” (Itaca Editores), assinada por Francesca Sadowski (médica), pelo fotógrafo Pino Rampolla e pelo Padre Eugenio Nembrini.

Em entrevista ao jornal italiano “La Stampa”, os autores relatam como nasceu a ideia de contar, com o uso de fotografias, a relação de alguns detentos com a fé, por meio de suas tatuagens.

“Um dia Massimiliano – relata Francesca – um detento que encontrei algumas vezes, me mostrou que havia corrigido a própria tatuagem: de “Melhor escravo no inferno do que patrão no Paraíso”, mudou a escrita para “Melhor escravos no Paraíso do que patrões no inferno”. Ele me disse que a primeira frase não mais o representava, e que na sua busca de si, desejava inverter aquela mensagem que tinha escrita no antebraço”.

Foi um episódio muito significativo – conta a médica – tendo também em vista a dificuldade em um ambiente como a prisão de “corrigir” uma tatuagem, nascida de um profundo desejo de mudar o rumo da própria vida.

Depois daquele episódio, e depois de ter lido tantas cartas de Massimiliano e de outros detentos, Francesca e Padre Eugenio deram-se conta que estavam testemunhando “Deus em ação” e que seria bonito mostrar isto também aos amigos.

Nascia assim a ideia do livro. O próximo passo foi o encontro com o amigo Pino Rampolla, com a proposta de que fotografasse as tatuagens com temas religiosos e de ajudar a recolher, onde fosse possível, os testemunhos de quem havia impresso na pele e no coração temas de Deus”.

Neste ponto, chega o telefonema do Papa a quem havia sido pedido uma introdução, fazendo o coração de todos tremer.

Assim, o projeto nascido como experiência pessoal a campo, se concretiza em um livro, que página após página, conta com a linguagem das imagens a difícil busca da redenção de homens e mulheres que cometeram erros e que viram na fé a âncora segura onde agarrar-se.

Crucifixos, rostos de Cristo, efígies de Maria: é rica a amostragem de imagens e orações tatuadas na pele, indeléveis pedidos de ajuda, que narram em um intenso relato comum, a dificuldade de ser seres humanos, e portanto, frágeis.

Por Rádio Vaticano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.