Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Notícias › 03/10/2016

Papa no Azerbaijão: “fé e serviço não podem se separar”

Após a visita à Geórgia nos dias 30 de setembro e 1º de outubro, o Papa Francisco dedica este domingo, 2, ao Azerbaijão, no âmbito de sua 16ª Viagem Apostólica internacional. Uma visita de caráter essencialmente de diálogo inter-religioso.

O Santo Padre celebrou uma Missa na Igreja da Imaculada Conceição em Baku, Azerbaijão, e salientou dois aspectos essenciais da vida cristã: fé e serviço.

Segundo o Papa, fé e o serviço estão intimamente ligados, não se podem separar, tal como um dos característicos tapetes do Azerbaijão:

“Para explicar isto, gostaria de usar uma imagem que vos é muito familiar: a de um lindo tapete. Os vossos tapetes são verdadeiras obras de arte e provêm duma tradição muito antiga. Também a vida cristã de cada um vem de longe, é um dom que recebemos na Igreja e que provém do coração de Deus, nosso Pai, que deseja fazer de cada um de nós uma obra-prima da criação e da história. Cada tapete, como bem sabeis, deve ser tecido segundo a teia e a tecedura; só com esta estrutura é que o conjunto resulta bem composto e harmonioso. O mesmo se passa com a vida cristã: tem de ser pacientemente tecida cada dia, entrelaçando entre si uma teia e uma tecedura bem definida: a teia da fé e a tecedura do serviço”.

Francisco destacou ainda que os cristãos não são chamados a servir apenas para ter uma recompensa, mas para imitar Deus, que Se fez servo por amor. “Ao mesmo tempo, também não somos chamados a servir apenas de vez em quando, mas a viver servindo. Então o serviço é um estilo de vida; mais ainda, resume em si todo o estilo cristão de vida: servir a Deus na adoração e na oração; estar abertos e disponíveis; amar concretamente o próximo; trabalhar com ardor pelo bem comum”, afirmou.

Tentações contra o serviço

O Papa falou também das tentações que afastam do estilo de serviço e acabam por tornar a vida inútil. “Um coração tíbio fechado numa vida preguiçosa, pouco a pouco acaba por se contentar com uma vida medíocre. Uma outra tentação é aquela de pensar como donos quando o serviço torna-se um meio e não um fim, porque o fim passou a ser o prestígio; depois, vem o poder, o desejo de ser grande. Permanecei sempre unidos, vivendo humildemente em caridade e alegria; o Senhor, que cria a harmonia nas diferenças, vos guardará”, disse o Papa.

No final da homilia em Baku, Francisco citou Santa Teresa de Calcutá dizendo: “O fruto da fé é o amor. O fruto do amor é o serviço. O fruto do serviço é a paz”.

Azerbaijão: contexto religioso

A realidade católica no país é pequena: os católicos são 560, existe uma só paróquia, 7 sacerdotes religiosos, 10 religiosos, 5 religiosas, 1 seminarista, 1 Instituto de educação e 1 de beneficência. Foram 14 os batizados no último ano. A pequena comunidade dos salesianos, que representa todo o clero do país, é formada por 6 sacerdotes, 3 Irmãos e um jovem azero em formação para tornar-se diácono.

Cerca de 94,8% da população de 9,5 milhões de habitantes é de religião muçulmana. Os cristãos representam 3,5% da população, sendo a maioria ortodoxa. Os católicos no país são cerca de 0,01% da população.

O Papa João Paulo II já havia realizado uma breve viagem apostólica à cidade de Baku entre 22 e 23 de maio de 2002. O centro histórico da cidade está dentro de uma antiga fortaleza, sendo declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco no ano 2000.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.