Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Homilia Dominical › 02/03/2017

Primeiro Domingo da Quaresma – A

Pe. Valeriano dos Santos Costa – Capela da PUC-SP – 05 de março de 2017
Gn 2,79; 3,1-7; Sl 50 (51); Rm 5,12-19; Mt 4,1-11

Adorarás ao Senhor teu Deus e somente a ele prestarás culto

O primeiro domingo da Quaresma recorda o pecado original, que deixou o ser humano em estado deplorável de desgraça. Por outro lado, o Evangelho mostra a salvação de Jesus, que nos recolocou na situação de justiça, nos reintroduzindo no estado da graça.

O pecado original consiste na desobediência do primitivo casal, motivado pelo desejo ser como Deus. Então o ser humano passou da situação de filho que se sentia amado, para a situação de competidor rejeitado. A perda do lugar que o humano tinha no Jardim de Éden gerou o mal-estar que carregamos até o momento do encontro com Cristo Salvador.

Esse encontro faz com que nos sintamos como crianças nos braços do Pai. Então a salvação cura o sentimento de rejeição, colocando em seu lugar a doce e saborosa sensação de ser amado. Assim Cristo realizou a regeneração do homem, o reinstalado em situação melhor que Éden, porque agora, mesmo na dor, é possível encontrar o prazer que a vida perdeu com o pecado original.

O homem não pode conhecer como Deus conhece. Nosso conhecimento é limitado e vagaroso; é um processo que depende da primeira impressão de realidade e vai até marcha da razão, que é a forma mais profunda e ampla de se conhecer algo. No entanto, apesar dos limites, a filiação adotiva nos aproxima tanto de Deus que podemos nos sentir divinizados.

A vitória de Cristo em relação às tentações do deserto mostra não só que o pecado de Adão não atingiu a Jesus, mas que nós também podemos vencer o pecado original. Jesus derrotou o Inimigo, vencendo todas as três tentações. Elas são negação da humanidade que Jesus assumiu em si mesmo. Chegou a ser convidado a adorar o demônio, coisa que o homem faz quando adora o dinheiro, o poder e o prazer.

Que este primeiro domingo da Quaresma reforce nossa adesão à salvação e abra o coração ao apelo da Campanha da Fraternidade, a qual nos convoca a defender a vida em seu todo representado pelos seis biomas do nosso País.

Todos são convidados também a aderir ao Dízimo, a fim de que possamos ter condições para entrar em clima de missão permanente, junto com toda a Arquidiocese. Que esta Quaresma nos torne mais cristãos, humanos e missionários.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.