Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Notícias › 26/05/2017

Quais são os 3 eixos para o caminho do cristão? Papa Francisco explica

O Papa Francisco advertiu, durante a sua homilia da Missa celebrada hoje na Casa Santa Marta, no Vaticano, que não adianta nada dar testemunho de Jesus e depois viver como um pagão. Por isso, pediu aos cristãos que sejam coerentes.

O Santo Padre assinalou três palavras que são como pontos de referência no caminho cristão. A primeira delas é “memória”. “Para ser um bom cristão, precisamos sempre nos lembrar do primeiro encontro com Jesus ou dos seguintes”.

O Papa disse que Jesus ressuscitado diz aos discípulos que o precedam na Galileia: este foi o primeiro encontro com o Senhor. E “cada um de nós tem a sua própria Galileia”, assegurou.

A segunda palavra, ou ponto de referência para todo cristão, assinalada por Francisco é a “oração”. “A oração é o caminho para entrar em contato com o Senhor”, assegurou, ressaltando que quando Jesus sobe ao Céu, Ele não se separa de nós. “Fisicamente sim, mas fica sempre ligado, para interceder por nós. Mostra ao Pai as chagas, o preço que pagou por nós e pela nossa salvação. Devemos pedir a graça de contemplar o Céu, a graça da oração, a relação com Jesus na oração que neste momento nos ouve, está conosco”.

“Enfim, a terceira palavra – continuou o Papa – é o mundo e a missão. Antes de ir, Jesus diz aos discípulos: ‘Ide mundo afora e façam discípulos’. Ide. O lugar dos cristãos é o mundo no qual anunciar a Palavra de Jesus, para dizer que fomos salvos, que Ele veio para nos dar a graça, para nos levar com Ele diante do Pai”.

Segundo explicou Francisco, “um cristão deve agir nestas três dimensões e pedir a graça da memória: ‘Que não me esqueça do momento que me elegeu, que não esqueça do momento em que nos encontramos’, dizendo ao Senhor”.

“Depois, rezar e olhar ao Céu, porque Ele está ali para interceder. Ele intercede por nós. E depois, sair em missão… não quer dizer que todos devem ir ao exterior; ir em missão é viver e dar testemunho do Evangelho; é fazer saber aos outros como é Jesus”.

Neste sentido, ressaltou a importância da coerência na vida cristã: “Essa missão deve ser feita através do testemunho e com a Palavra, porque se eu falar como Jesus e como a vida cristã, mas viver como um pagão, não adianta. A missão não funciona”.

Viver segundo estes três eixos da vida cristã, assegurou o Santo Padre, proporciona a alegria que toda pessoa busca. Para explicar, referiu-se à última frase que Jesus nos diz no Evangelho de hoje: “Naquele dia, no dia em que viverem a vida cristã assim, vocês saberão tudo e ninguém poderá lhes tirar a alegria”.

“Ninguém –assegurou o Papa –, porque terei a memória do encontro com Jesus e a certeza que Jesus está no Céu e intercede por mim, está comigo, eu rezo e tenho a coragem de dizer, de sair de mim, dizer aos outros e dar testemunho com a minha vida que o Senhor ressuscitou, está vivo”.

“Memória, oração e missão”, concluiu o Bispo de Roma: “Que o Senhor nos dê a graça de entender esta topografia da vida cristã e seguir adiante com alegria, aquela alegria que ninguém pode nos tirar”.

Evangelho comentado pelo Papa Francisco:

João 16, 20-23a

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:

20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.

22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”.

Por ACI Digital

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.