Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Homilia Dominical › 16/03/2017

Terceiro Domingo da Quaresma – A

Pe. Valeriano dos Santos Costa – Capela da PUC-SP – 19 de março de 2017
Ex 17,3-7; Sl 94 (95); Rm 5,1-2.5- 8; Jo 4,5-42

homilia-8Quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede “Minha alma tem sede de Deus” (Sl 42,3), canta o salmista, expondo a sede mais profunda do ser humano: a sede da alma. Mais de 500 anos depois, Jesus propõe: “Se alguém tem sede, venha e mim e beba” (Jo 7,37). A água oferecida por Jesus se torna em nós “rios de água viva”, dando-nos uma autonomia psico-espiritual jamais vista.

Na fonte a promessa se realizou, quando uma samaritana buscava água junto ao poço de Jacó. Dizem que o corpo precisa, em média, de dois litros de água por dia. E a alma, de quanto precisa? Feitos à imagem e semelhança divinas, temos uma sede infinita, tão infinita que ninguém nem coisa alguma podem saciar. Corresponde à sede de felicidade.

A samaritana não era feliz, com tantas experiências afetivas sem resultado. Nem com o quinto marido estava feliz. À beira do poço encontrou quem a podia saciar: Jesus.

Era meio-dia, hora de cansaço e sede. O próprio Jesus estava cansado, mas de uma canseira apenas física, enquanto que a canseira da samaritana era existencial.

Jesus lhe anunciou o Batismo e a vida nova, fruto da graça batismal. Tomando a divisão entre samaritanos e judeus, ele revela o lugar onde se deve adorar a Deus: a Santíssima Trindade, ou seja, ao Pai em Espírito e Verdade.

Adorar ao Pai em Espírito e Verdade significa, por meio de Jesus e na força do Espírito Santo, acessar o amor infinito do Pai por cada um de nós, de tal forma que nos sintamos filhos tão amados quanto Jesus. Essa é a razão da fé, que repercute em faces brilhantes e olhos reluzentes. Daí a missão como consequência inevitável de quem, ao apreender o amor divino como realidade, quer conhecê-lo mais e ajudar outros a experimentá-lo, como fez a samaritana com seu povoado. A consequência desse amor transcendental é o amor horizontal: amor ao próximo e a toda a Criação. É daí que vem o zelo pela “casa comum” e pela preservação dos biomas de nosso País, como propõe a Campanha da Fraternidade deste ano.

A sede de Deus é tão aguda, que corresponde à sede humana de felicidade. Por isso Jesus diz que os campos de trigo estão dourados, isto é, prontos para a colheita. É hora de ceifar, ou seja, de anunciar salvação, com palavras inspiradas por Deus e que brotem da experiência de fé.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.