Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Homilia Dominical › 16/11/2017

TRIGÉSIMO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM – A

Pe. Valeriano dos Santos Costa – Capela da PUC-SP – 12 de novembro de 2017
Sb 6,12-16; Sl 62 (63); 1Ts 4,13-18; Mt 25, 1-13

Não vos conheço!

Dura realidade significou esta frase não vos conheço, dita pelo noivo às virgens imprevidentes! A porta se fechara e elas se encontraram na desolação. Porém é nesta frase não vos conheço que encontramos a chave do mistério que celebramos. Conhecer é um fenômeno humano, uma busca que nunca se exaure porque não tem fim; é uma marcha em busca dos fundamentos da realidade, seguindo a direção da profundidade das coisas. Neste sentido Deus não precisa conhecer, porque tudo vê. E vê o mais profundo da realidade. Jesus lia pensamentos, sentia os sentimentos e não precisava interpretar acontecimentos; Jesus é Deus.

Por que então Deus não conhecia as virgens imprevidentes? Por que no julgamento final Deus não conhecerá os perversos, se Deus tudo vê? Na verdade são as virgens imprevidentes e os perversos que nunca conheceram Deus. Por isso serão tratados como estranhos na hora mais fundamental da existência: aquela hora que decide o futuro eterno. As virgens imprevidentes e os perversos nunca tiveram Deus como uma realidade que valesse a pena conhecer. O conhecimento está simbolizado no óleo que faz a lâmpada arder.

Hoje o papel do óleo está representado na energia elétrica. Por isso, aquelas moças tinham vidas escuras, não porque Deus não as amasse como ama a todos, mas porque usaram sua liberdade para se afastar conscientemente de Deus. O cuidado com o óleo é símbolo do cuidado com a busca de Deus. Nossa vida é marcada pela marcha em busca do conhecimento daquelas realidades que têm forte significado. E isto é uma marcha em busca da profundidade e dos fundamentos da realidade.

Mas esse conhecimento é pessoal; não pode ser partilhado na última como um combustível que estivesse fora da pessoa. O óleo do conhecimento ou se tem ou não se tem. Não é na hora decisiva
que se pode partilhá-lo. Por isso as virgens previdentes disseram às imprevidentes: não podemos dividir senão faltará a vós e a nós. Portanto comprai-o daqueles que podem vender. Não deu certo
porque esse tipo de óleo não se compra e não se vende, mas se adquire com as provações da vida, que são as grandes experiências de provação de realidade. Mas era tarde, pois tais experiências não podem ser feitas na última hora. Como poderiam as virgens previdentes partilhar o que tinham conquistado a vida inteira, minuto a minuto?

Então quando o noivo disse não vos conheço, estava dizendo na verdade: vocês é que não me conhecem, como muitas vezes dizemos a alguém que nos aborda de forma inconveniente: você
me conhece? E elas nunca conheceram a Deus, porque nunca deram nenhum valor às coisas da fé. Simplesmente seguiram o ritmo da busca de prazer, ter e poder, pensando que isso poderia salvá-las. Não vos conheço porque vocês não me conhecem; e não me conhecem porque nunca quiseram conhecer-me, disse o Senhor. Agora assumam as consequências, enquanto as outras vão festejar eternamente no banquete do Reino.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.