Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

NOTÍCIAS DA IGREJA : Março – Abril 2018

Na paróquia: Celebrado de 13 a 16 de abril o Retiro anual em silêncio, com 40 participantes, organizado pela paróquia e pelas Equipes de Nossa Senhora, pregado pelo Pe. Milton Schreiber, sobre o tema “Ser Cristão no Mundo de Hoje”.

 

Em São Paulo: 

Ano Nacional do Laicato: Simpósio realizado em março, para  aprofundar o documento 105 da CNBB “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade – Sal da terra e luz no mundo”.

 

Sínodo Arquidiocesano, aberto em 24/02, pelo Cardeal D. Odilo Scherer. Ano de 2018 dedicado à reflexão sobre a vida e organização da Igreja na paróquia.  Párocos ou administradores paroquiais convocarão o povo ligado à paróquia, sacerdotes, religiosos e fiéis leigos para participar de dois importantes levantamentos: uma pesquisa de campo sobre a realidade social, religiosa e pastoral da paróquia e a verificação dos vários dados objetivos da vida pastoral e ação evangelizadora na paróquia, afim de “recuperar a importância das paróquias na ação evangelizadora e na pastoral da Igreja, sem deixar que elas fiquem reduzidas a balcões burocráticos de prestação de serviços religiosos ou sociais” (Cardeal Scherer, “O São Paulo, 28/02/2018).

                                                                                 

No Brasil:

56ª Assembléia Geral da CNBB: De 11 a 20 de abril, em Aparecida. Tema principal:  “Novas Diretrizes para a Formação Sacerdotal no Brasil”, a partir do documento de 2016 “Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis” do Vaticano, Sobre o tema, a CNBB redigiu um documento aguardando aprovação pela Santa Sé. Decidido que, para maoir eficiência, doravante haverá na CNBB 2 Vice-Presidentes e 2 Secretários-Gerais.

 

Em Roma:

Nova festa na Igreja: Criada pelo Papa Francisco, “Maria, Mãe da Igreja”, a ser celebrada anualmente na segunda feira após o domingo de Pentecostes.

 

Sínodos: 2018: Jovens: Março, em Roma, um Pré,-Sínodo, com 285 jóvens do mundo inteiro, visando apresentar sugestões para o Sínodo. Publicado nessa ocasião “Deus é Jóvem”, livro-entrevista de Francisco com o jornalista e escritor Tomazzo Leoncini, verdadeira exortação à juventude, segundo o jornal francês “La Croix”.

2019: Amazônia: tema “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral”. Com bispos e autóctones da região.

 

J.M.J. 2019: Terão lugar no Panamá, de 22 a 27 de janeiro. As inscrições estão abertas.

 

Documentos do Magistério:

“Placuit Deo”, documento sobre a salvação, publicado em 01/03 pela Congregação para a Doutrina da Fé, chama a atenção para dois desvios perigosos que lembram duas heresias da antiguidade: O néo-pelagianismo, que atribui ao indivíduo, radicalmente autônomo, a pretensão de salvar-se por si próprio, sem reconhecer que no mais profundo do seu ser ele depende de Deus e dos outros.” E “um certo néo-gnosticismo que apresenta uma salvação meramente interior, trancada no subjetivismo, que permite elevar-se pela inteligência além da carne de Jesus até os mistérios da divindade desconhecida.” Para responder a esses desvios,“é necessário reconhecer como Jesus é Salvador, ou seja, na medida em que assumiu a integralidade de nossa humanidade, e viveu uma vida humana em plena comunhão com o Pai e com seus irmãos.”

“Gaudete et Exultate”, terceira Exortação Apostólica do Papa Francisco, publicada em 5 de abril, é um apelo à santidade no mundo contemporâneo. “Deus quer que sejamos santos e Ele não espera que nos contentemos com uma existência medíocre, edulcorada, sem consistência”.”Somos todos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo um testemunho pessoal nas nossas ocupações quotidianas.

 

Viagens do Papa: À Suiça em 21 de junho, nos 70 anos do Conselho Ecumênico das Igrejas. Em Dublim, na Irlanda, ainda em junho, para o Encontro das Famílias. Aos países bálticos, Lituânia, Letônia e Estônia, em setembro, no centenário de sua independência após o fim da primeira guerra mundial.

                                                                                                                                        

 

Sexta-Feira Santa, as Meditações da Via Crucis no Coliseu: Pela primeira vez não foram feitas por um sacerdote ou um teólogo, mas sim, a pedido do Papa, por 15 jóvens de Roma, de 16 a 27 anos, que se reuniram para ouvir a leitura da Paixão de Cristo segundo os quatro evangelistas e depois escreveram o que mais os impressionou.

 

 

Religiosas exploradas: O L’Osservatore Romano, diário do Vaticano, em seu número de 1° de março, denuncia “o trabalho (quase) gratuito de muitas religiosas, em situação de trabalho doméstico pouco reconhecido a serviço de cardeais e bispos nas cozinhas de instituições religiosas, ou em tarefas de catequese ou ensino, sem horário, e com uma retribuição mínima, frequentemente inexistente”.

Processo no Vaticano: Iniciado em 15/03 contra dois ex-responsáveis (leigos) do instituto financeiro do Vaticano (IOR), acusados de desvio de fundos e lavagem de dinheiro, no período 2001-2008, no valor de mais de 59 milhões de euros. O IOR, procurando a transparência, anunciou sua intenção de perseguir civil e penalmente qualquer atividade ilícita em seu prejuízo, onde quer que se tenha produzido ou qualquer que seja a pessoa que assim tenha agido.

O papa Francisco, no Angelus de 1°de março, comentando o episódio da expulsão dos mercadores do templo, evocou o perigo “grave, extremo, mortal” “de fazer com que a nossa alma, que é moradia de Deus, se torne um mercado, procurando constantemente o próprio lucro, aproveitando de atividades boas, às vezes de obrigações, para cultivar interesses privados e mesmo ilícitos”. 

 

 

Publicação criticada: O Papa emérito Bento XVI, em carta confidencial a Mons. Viganó, Prefeito da Secretaria da Santa-Sé, assinala a continuidade teológica do pontificado de Francisco com a sua, elogia a notável formação teológica de Francisco e estranha que tenha sido confiada ao teólogo alemão Peter Hünemann a redação de um dos volumes da coleção “A teologia do Papa Francisco”, editada pela Livraria Editora do Vaticano, já que ese teólogo criticara os papas João Paulo II e Bento XVI. A carta confidencial vazou, foi deformada pela imprensa e provocou discussões imprevistas, que acabaram levando Mons.Viganó a pedir demissão.

 

Ordem Soberana de Malta:  Nomeado o novo grão-mestre, Frá Giacomo Dalla Torre, que se comprometeu a continuar a reforma iniciada há um ano, a pedido do Papa, após a grande crise que abalou a Ordem..

 

No mundo:

Os cristãos voltam a Qaraqosh, na planície de Nínive, periferia de Mossul, cidade onde viviam desde os tempos evangélicos cerca de 50 000 cristãos, que fugiram na chegada do Estado Islâmico, que assassinou os que ainda encontrou, saqueou e destruiu toda a cidade, inclusive as suas igrejas.  Com a retomada de Mossul e a expulsão do E.I., 20 000 cristãos voltaram e uma missa foi celebrada nas ruínas da catedral pelo arcebispo de Mossul.  A presença dos cristãos na planície de Nínive continua frágil, ameaçada pelos conflitos entre curdos e iraquianos muçulmanos.

                                                                                                                                         

                                                                                                                                         Gerard Duchêne

 

                                                                                                                     

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.