Horários de Missas

Segunda-feira à Sexta-feira: 7h30, 12h10 e 18h

Sábados: 9h30, 12h e 16h  

Domingos: 9h30, 11h, 12h30, 18h30

 

Notícias › 28/04/2020

O Papa institui a Fundação Vaticana João Paulo I

cq5dam-thumbnail-cropped-750-422

O Papa Francisco instituiu a Fundação Vaticana João Paulo I, indo assim ao encontro da proposta de criação de um organismo destinado a aprofundar a figura, o pensamento e os ensinamentos de João Paulo I – Albino Luciani (26 de agosto de 1978 – 28 de setembro de 1978) – e a promover o estudo e a divulgação dos seus escritos. A Fundação visa proteger e preservar o patrimônio cultural e religioso deixado pelo Papa João Paulo I; promover iniciativas como conferências, encontros, seminários, sessões de estudo; criar prêmios e bolsas de estudo; realizar atividades editoriais através da publicação tanto dos resultados de estudos e investigações próprias, como de obras de terceiros; atuar como ponto de referência, na Itália e no exterior, para quem trabalha no mesmo âmbito e com os mesmos objetivos.

O Papa nomeou o cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin como Presidente da Fundação, que num artigo publicado nos meios de comunicação do Vaticano salienta como “o Papa João Paulo I foi e continua a ser um ponto de referência na história da Igreja universal, cuja importância – como São João Paulo II já salientara – é inversamente proporcional à duração do seu brevíssimo pontificado”.

“A história de Albino Luciani – escreve o cardeal Parolin -, é a de um pastor próximo do povo, centrado no essencial da fé e com uma extraordinária sensibilidade social. O seu magistério é atual. Proximidade, humildade, simplicidade, insistência na misericórdia de Deus, amor ao próximo e solidariedade são as suas características salientes”.

“Foi um bispo que viveu a experiência do Concílio Ecumênico Vaticano II e o aplicou, e no seu breve pontificado fez progredir a Igreja ao longo dos principais caminhos por ele indicados: a volta às fontes do Evangelho e um renovado espírito missionário, a colegialidade episcopal, o serviço na pobreza eclesial, a busca da unidade dos cristãos, o diálogo inter-religioso, o diálogo com a contemporaneidade e o diálogo internacional, conduzido com perseverança e determinação, em favor da justiça e da paz”.

Via Vatican News

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.